29/07/2012

Equilibristas


Algumas vezes estar no lugar que se sonhou não significa estar vivendo o que se sonhou. Abandonar a situação é o primeiro pensamento, mas talvez seja muito radical para alguns. Os mais resistentes vão até onde conseguem negociar o seu tempo, sua disposição, seus prazeres. E ainda há os que resistem num ambiente infeliz até perderem o seu último princípio, os últimos valores vão embora com a fraqueza que chega com o tempo.

Isso acontece o tempo todo, com todo tipo de gente, em todo tipo de lugar. Isso acontece todos os dias nas Universidades. A cada semestre uma nova remessa de jovens, cheios de sonhos, planos e boas intenções, chega aos edifícios de Ensino Superior. Depois de quase duas décadas se preparando, eles entram no que dizem ser a etapa mais importante de suas vidas.
Parece o fim e o começo de tudo. A rotina acadêmica diz que é o fim da diversão, mas a vida universitária oferece um mar de possibilidades para esses estudantes. Todas parecem ótimas à primeira vista; é novo e é bonito; tudo pode ser muito legal dependendo de quem convida. Vivem como equilibristas, segurando tudo que podem (diversão, trabalho, estudo, vida sentimental, família etc) num prato só: ser universitário.

Esse estilo de vida equilibrista tem sido cada vez mais impregnado de características que se opõem aos valores e princípios de Deus. E essa tem sido a imagem do universitário; pois os “hedonismos”, os “relativismos” e “ceticismos” são comuns. Fumar uma erva, ficar “alto” toda sexta, é rotina. E pra quê a fé no sobrenatural se afinal temos todas nossas filosofias e o ser humano tem um grande potencial e uma mente ilimitada? “Esse papo de Deus não é pra gente; a gente quer viver, queremos liberdade.”

Será possível mudar essa imagem? Será possível dar habilidade e equilíbrio para a vida destes jovens habitantes deste admirável novo mundo universitário? A resposta pode ser sim, caso você acredite em mudanças. Nós acreditamos e temos orado por isso. Desejamos não somente orar, mas sermos inspirados a pintar novamente essa realidade, com os valores que vivemos, os valores de Deus. A vida não foi feita para se apoiar sobre uma corda bamba. Existe um Chão firme para todo equilibrista. Só precisamos compartilhar dessa realidade.


• ORE pela realidade dos universitários, para que cada um consiga lidar com suas responsabilidades, sentimentos, limites e necessidades. Que o conhecimento verdadeiro da pessoa de Cristo possa ser transformador na vida das pessoas, alterando seus padrões e dando a elas uma mente renovada.

• ORE para que cristãos nas Universidades interajam com estudantes não cristãos e possam influenciá-los com seu estilo de vida, levando-os ao conhecimento d’Aquele que proporciona equilíbrio real para o corpo, a mente e o espírito.

• ORE para que estudantes compreendam que o real alívio para os problemas que enfrentam não está nos vícios, nos valores invertidos ou em suas ideologias.

#DiadoEstudante

1 comentários:

Postar um comentário